Quais são as relações entre o Bunkyo, o Pavilhão Japonês e o 4º Centenário de SP?

SP da história SP do turismo

Saiba a seguir as relações das fundações da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa (Bunkyo) e do Pavilhão Japonês (Parque Ibirapuera) com a comemoração do 4º Centenário da cidade de SP ocorrida em 1954.

A 2ª edição do Encontro Japão.Br

Tive a oportunidade incrível de participar, via o São Paulo da garoa, do evento “Japão.Br” organizado pela Patricia Takehana do blog Bagagem de Memórias, que possuía o principal propósito, do melhor entendimento da comunidade nikkei (descendentes japoneses e admiradores do país) diante dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil, celebrado neste ano de 2018.

Sendo assim, pude resgatar um pouco da história de toda a trajetória dos imigrantes japoneses que chegaram ao Brasil, a partir de 1908, e que hoje em 2018, já na quarta geração, são mais de 1 milhão de nipo-brasileiros espalhados em todo o território nacional, com a maior concentração no estado de São Paulo.

A curiosidade histórica em foco

Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil foi um dos primeiros lugares onde fui impactado com toda essa cronologia histórica e muito bem preservada. O museu ocupa 3 andares, 7º, 8º e 9º do Edifício Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa), localizado em pleno bairro da Liberdade, o reduto oriental de SP.

Diante de muitos fatos históricos que vi por lá, resolvi abordar uma curiosidade que muitos paulistanos talvez não devem ter conhecimento, como eu mesmo não tinha (confesso!).

Então, veja a seguir, as causas e a contextualização da fundação dessa entidade/associação denominada de Bunkyo, e qual a sua relação com o Pavilhão Japonês localizado no Parque do Ibirapuera, e também, com o 4º Centenário da cidade de SP ocorrido no ano de 1954.

A construção do Pavilhão Japonês e a comemoração do 4º Centenário da cidade de São Paulo (1954)

Para os imigrantes japoneses, desde a sua chegada ao Brasil, as associações foram importantes referências de atuação. No entanto, com a 2ª Guerra Mundial (1939-1945), por forças das leis proibitivas promulgadas pelo presidente da época, Getúlio Vargas, essas entidades mantidas por estrangeiros foram dissolvidas.

Só com o fim do conflito que, entre os nipo-brasileiros, houve a possibilidade de uma reorganização, ocorrida em 1954, quando se montou uma comissão organizadora para participar das comemorações do 4º Centenário (400 anos) da cidade de São Paulo.

Nessa ocasião, essa comissão coordenou conjuntamente com o governo japonês, a construção do Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera, que também seria inaugurado nessas comemorações e fora o local oficial da festividade.

O Pavilhão, inspirado no “Palácio Katsura” (Kyoto, Japão – antiga residência de verão do Imperador, construída entre 1620 e 1624), ocupa uma área às margens do lago do parque, e é composto de um edifício principal suspenso, que se articula em um salão nobre e diversas salas anexas, salão de exposição, além de um belíssimo lago de carpas.

O projeto foi executado pelo professor Sutemi Horiguchi (co-fundador do primeiro movimento moderno da arquitetura no Japão) que utilizou da tradicional arquitetura japonesa no estilo Shoin (adotado nas residências das casas dos samurais e da aristocracia na época imperial), com o emprego da técnica de encaixe de madeiras hinoki em suas estruturas.

O Pavilhão Japonês foi doado para a Prefeitura Municipal de São Paulo, e desde 1955, a comissão organizadora, que posteriormente se tornaria na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – o Bunkyo, tem sido responsável pela administração, manutenção e promoção de eventos no local.

A fundação do Bunkyo

Em 1955, passada a comemoração do 4º Centenário, foi decidido que a estrutura dessa comissão organizadora que mobilizou a construção do Pavilhão, não deveria desaparecer, pois se visava as festividades do 50º aniversário da imigração japonesa para o ano de 1958.

Nascia, portanto, em 17 de dezembro de 1955, a Sociedade Paulista de Cultura Japonesa. Em 1968, devido à abrangência de sua atuação, passou a se chamar Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa. Em 2006, com a ampliação de suas atividades, mudou o seu nome para Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social.

Localizado no bairro da Liberdade, o Bunkyo (abreviatura do nome japonês) é mantido graças às mensalidades pagas pelos associados (pessoas físicas e jurídicas), doações e aluguéis dos auditórios, salas e salões.

Atualmente, as atividades do Bunkyo são mantidas por 32 Comissões temáticas formadas por associados-voluntários, focadas em variadas frentes: organização dos eventos anuais e especiais, recepção a autoridades e administração das instalações culturais (Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, Pavilhão Japonês, Biblioteca e Centro Esportivo Kokushikan Daigaku).

As linhas básicas de atuação da entidade, desde a sua fundação, têm sido promover o entendimento e a confraternização dos nipo-brasileiros e seu aperfeiçoamento cultural; intensificar a divulgação da cultura japonesa; fortalecer o intercâmbio entre o Brasil e o Japão; e por fim, promover atividades assistenciais.

Resumo Histórico

1908 – Chegada dos primeiros imigrantes japoneses ao Brasil;

1939 a 1945 – Com a 2ª Guerra Mundial vigente, a leis proibitivas promulgadas pelo presidente Getúlio Vargas dissolveu todas as entidades formadas por estrangeiros;

1954 – Reorganização de uma comissão da comunidade nipo-brasileira para participar das comemorações do 4º Centenário da Cidade de São Paulo, com a construção do Pavilhão Japonês no Parque Ibirapuera;

1955 – Comissão reorganizada para o 4º Centenário, se mantém e surge a Sociedade Paulista de Cultura Japonesa – Bunkyo, com sede no bairro da Liberdade, e se torna a administradora oficial do Pavilhão Japonês;

1958 – Celebração do 50º aniversário da imigração japonesa organizada pelo Bunkyo;

1968 – Com a abrangência de atuação, o nome da entidade passa a ser Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa – Bunkyo;

2006 – Com a ampliação de atividades, o nome passa a ser Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social;

2018 – A minha participação no II Encontro do Japão.BR, onde pude saber de toda essa curiosidade e trajetória histórica.

Reproduções de vídeos: http://www.bunkyo.org.br


Fontes: Sites Bunkyo – http://www.bunkyo.org.br, Wikipedia e Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil


Serviços

JAPÃO.BR
Sobre: https://www.bagagemdememorias.com/japaobr/ 
Instagram: https://www.instagram.com/japao.br/ 
Facebook: https://www.facebook.com/encontrojapao.br/

MUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA NO BRASIL

Site: http://www.museubunkyo.org.br/ 
Facebook: https://www.facebook.com/museuimigracaojaponesa 
Instagram: https://instagram.com/museumhijb

Endereço:
Rua São Joaquim, 381 – Liberdade 01508-900 – São Paulo – SP
3º andar – Biblioteca/Escritório
7º, 8º e 9º andares – Exposição Permanente

Horário de atendimento:
Exposição: de terça-feira a domingo, das 13h30 às 17h00
Contribuição adulto: R$ 12,00
Estudantes com carteirinha: R$ 6,00
Crianças de 5 a 11 anos: R$ 6,00
Idosos acima de 60 anos: R$ 6,00 (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)

AUDIOGUIA
Tablet disponível no 8° andar do Museu
Contribuição: R$ 12,00 (Pagamento em dinheiro ou cartão de débito)
Observação: Locação do tablet somente com documento original válido. O documento ficará retido até a devolução do tablet.
Favor devolver até 17h25.

Biblioteca*/Escritório
De segunda a sábado, das 9h às 17h00
*Biblioteca apenas para consulta local

Agendamento de visitas monitoradas
(para grupos de 50 pessoas, período de 60 minutos – de terça a sexta-feira)
Monitoria: R$ 130,00

Informações: (11) 3209-5465 ou 3208-1755 (ramal 117)
E-mail: museu@bunkyo.org.br

PAVILHÃO JAPONÊS

Site: http://www.bunkyo.org.br/pt-BR/pavilhao-japones

Local: Parque do Ibirapuera – portão 10
(próximo ao Planetário e ao Museu Afro Brasil – mapa no final desta página)
Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – São Paulo – SP
(a cerca de 5 quilômetros do Metrô Santa Cruz)
Funcionamento: quarta-feira, sábado, domingo e feriados
Horário: das 10h às 12h e das 13h às 17h
Informações:
(11) 5081-7296 ou pavilhao@bunkyo.org.br
(11) 3208-1755
Contribuição adulto: R$ 10,00
Estudante com carteirinha: R$ 5,00
Idosos a partir de 60 anos: R$ 5,00 (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)
Crianças de 5 a 12 anos: R$ 5,00
Crianças até 4 anos: isento

BUNKYO – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa
e de Assistência Social


Site: http://www.bunkyo.org.br/pt-BR/
Facebook: https://www.facebook.com/bunkyo/
Instagram: https://www.instagram.com/instabunkyo/


Endereço:
Rua São Joaquim, 381 – Liberdade
01508-900 – São Paulo – SP Brasil

E-mail: contato@bunkyo.org.br
Telefone: +55 (11) 3208-1755
Fax: +55 (11) 3208-5519


Entre no nosso grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/spdagaroa/ e seja um membro para saber em primeira mão das nossas matérias recentes e outros conteúdos exclusivos!

Guarde o Pin no teu Pinterest!

The following two tabs change content below.
Rafael Gushiken

Rafael Gushiken

Idealizador e editor-chefe at São Paulo da garoa
Rafael Gushiken é o idealizador e editor-chefe do portal São Paulo da garoa, para o qual seleciona as melhores dicas sobre cotidiano, cultura, história, turismo e gastronomia da terra da garoa; com a realização de exclusivas coberturas jornalísticas de eventos e passeios de interesse ao público paulistano e paulista em geral. É publicitário de formação, especializado em Marketing e Conteúdo Digital, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas; e se "aventura" como fotógrafo e curador cultural.

Comentários

Comentários

Tagged