SP da história

Passado, presente e futuro do Museu Judaico

O São Paulo da garoa foi especialmente convidado a conhecer as futuras instalações do Museu Judaico de São Paulo, que ainda está em reforma. 

Nessa visita exclusiva, tivemos mais conhecimento sobre a proposta do lugar que basicamente terá o objetivo de difundir o judaísmo, tanto na questão cultural como na religiosa, na sociedade brasileira, e também, contextualizando a preservação histórica da imigração judaica em SP e no Brasil.

Veja a seguir as fotos que registramos, as quais mostram um pouco desse processo da atual restauração da antiga sinagoga construída pela comunidade no fim da década de 30, o Templo Beth-el, e abrigará o futuro Museu Judaico de SP:

image
image
image

A clássica fachada do Templo Beth-el, com os dizeres em hebraico que traduzido é: “Casa de oração para todos os povos”

 

image
image
image

Reforço nas estruturas em um dos subsolos, mas claro, mantendo os traços arquitetônicos original da antiga sinagoga.

image
image
image
image
image

O térreo totalmente restaurado, com nova pintura, e ainda com os antigos bancos da sinagoga, detalhes para a estrela de Davi esculpida e a identificação personalizada do assento.

image
image

Cliques do museu feito da rua Martinho Prado.

image
image
image
image

A parede de vidro que marcará a nova fachada do museu em traços futurísticos, com a entrada para a avenida 9 de julho. Essa nova concepção é fruto do projeto “Viva o Centro”, de revitalização da capital.

image
image
image
image

Fachada do museu bem na esquina das ruas Martinho Prado e Avanhandava.

Acompanhe o nosso registro em vídeo dessa visita, e também, os que eles realizaram de todo esse processo das obras:

 


Museu na ativa

Apesar desse processo de obras e mesmo antes da inauguração oficial, o museu mantém algumas atividades para que o público possa ir se inteirando sobre o seu espaço e programação, como por exemplo, a sua recente participação da “Jornada do Patrimônio” promovida pela Secretaria Municipal de Cultura e o Departamento de Patrimônio
Histórico (DPH).

Uma boa dica para quem quer se inteirar de uma atividade cultural promovida pelo museu até o dia 30 de novembro, é vivenciar a instalação artística do projeto Por1triz, das artistas Eva Castiel e Fanny Feigenson, realizada nos tapumes da obra que estão em sua fachada, que hoje exibem grafites criados pelo artista visual Arieh Wagner, e recebem a intervenção de uma instalação sonora, nos quais, através de orifícios é possível ver, entre os ângulos da construção, a porta central da sinagoga.

A escolha dos tapumes na obra do futuro Museu Judaico de SP para essa intervenção artística vai ao encontro da discussão proposta pelas artistas sobre ressignificar espaços, onde o antigo Templo Beth-El ganha nova função pública quando está prestes a se transformar em Museu, um aparelho cultural aberto para a cidade.

Confira o vídeo que ilustra mais essa proposta, e também, a nossa cobertura do Kleztival – 7º Festival Internancional de Música Judaica promovido pelo IMJ – Instituto de Música Judaica e realizado no SESC Bom Retiro:

 

 


Serviço:

Museu Judaico de São Paulo
http://museujudaicosp.org.br/
https://www.facebook.com/museujudaicosp/
https://www.instagram.com/museujudaicosp/

Rua Martinho Prado, 128 – São Paulo – SP
Tel.: (11) 3258 1396

 


Fonte: http://museujudaicosp.org.br/

Rafael Gushiken é o idealizador do São Paulo da garoa, que consiste em ser um projeto colaborativo ou um coletivo de divulgação do cotidiano paulistano por meio de várias expressões artísticas. Conheça o Instagram.com/spdagaroa e o Facebook.com/spdagaroa. Use a hashtag#spdagaroa se for fazer cliques nas mídias sociais!

Agradecimentos a todos do Museu!

The following two tabs change content below.
São Paulo da garoa, São Paulo, que terra boa!

Comentários

Comentários