SP da cultura

ESPECIAL: A cena independente brasileira

As bandas do cenário musical independente, não só do rock mas de vários estilos, que estão em turnê pelo país, América Latina e até na Europa.
E para quem está começando, há chances de entrar nesse circuito também. Saiba mais!

 

image

(Pré-show do Autoramas na Associação Cultural Cecília ~ SP da garoa/Rafael Gushiken ~ 07.10.2016)

 


Autoramas ~ uma das bandas mais cultuadas e bem-sucedidas do meio

image

(Érika Martins e Gabriel Thomaz do Autoramas, banda carioca do selo paulistano HBB, se apresentando em SP antes de partirem para a sua turnê mundial ~ SP da garoa/Rafael Gushiken ~ 07.10.2016)

Formada no Rio de Janeiro em 1998, o Autoramas mistura rock dos anos 60, New Wave e Jovem Guarda. Como afirma o próprio site da banda, “eles tocam rock’ n roll que funciona muito bem em pistas de dança”.

A formação atual conta com Gabriel Thomaz (ex-Little Quail and The Mad Birds), Érika Martins (ex-Penélope), Fred Castro (ex-baterista do Raimundos) e Melvin.

Em 2013 o Autoramas tocou no “Rock in Rio” e foram eleitos “O Melhor Show do Ano” pelo jornal “O Globo”. A banda que já excursionou por diversos países, lançou 7 álbuns, 2 DVDs e várias músicas em coletâneas.

image

(O recém-lançado 7º álbum da banda, “O Futuro dos Autoramas” ~ SP da garoa/Rafael Gushiken ~ 07.10.2016)

O Autoramas tem levado o show de “O Futuro do Autoramas” a diversas cidades desde o lançamento do disco, pela HBB, em CD, vinil e K7.

Este é o sétimo álbum da banda que foi produzido pelo Autoramas e por Lê Almeida, e masterizado e mixado por Jim Diamond, este, o produtor de Detroit (EUA) que já trabalhou com bandas como Sonics, White Stripes e Dirtbombs.

O São Paulo da garoa esteve presente em seu último show no Brasil, realizado em SP na Associação Cultural Cecília (região central), pois logo após, eles embarcariam para mais uma turnê europeia, passando por cidades de Portugal e Alemanha, países onde

também são bem conhecidos.

Confira abaixo mais fotos e vídeo desse dia:

image
image
image
image
image
image

(Fotos do último show no Brasil, SP, antes da pré-turnê europeia ~ SP da garoa/Rafael Gushiken ~ 07.10.2016. Cartaz da turnê europeia 2016 ~ Reprodução)

 


(Trechos do show ~ SP da garoa/Natasha Ramos e Rafael Gushiken ~ 07.10.2016)

 


Ultramen ~ a volta da banda

image

(Foto: Ricardo Lage ~ Divulgação)

Formada em 1991, na faculdade de biologia da UFRGS em Porto Alegre, a banda Ultramen contava com na bateria, Pedro no baixo e Júlio na guitarra. O trio, que tinha o intuito de misturar rap com ritmos mais pesados, anunciou durante um programa de rádio que estava à procura de um vocalista, e foi assim, que Tonho entrou na banda. Logo depois, se juntaram ao grupo Malásia e Marcito na percussão.

Era uma época que para tocar em casas noturnas, festivais e para conseguir alguma atenção na cena as bandas gravavam fitas demos. Lançamos duas com boa receptividade de público e crítica”, conta Tonho.

A banda lançou o primeiro disco homônimo em 1998 e mais três álbuns até o ano de 2005. Durante o ano de 2004, o grupo participou também da compilação “Acústico MTV Bandas Gaúchas”.

Em 2008, o Ultramen decidiu dar uma pausa por tempo indeterminado e antes de encerrar as atividades, registrou o show de despedida no bar Opinião, na capital gaúcha.

Oito anos se passaram desde a gravação, e em 2016 o Ultramen retoma as atividades para comemorar 25 anos de banda com o lançamento do DVD e do CD ao vivo gravado na época. O material intitulado “Máquina do Tempo” foi lançado pela gravadora paulistana Hearts Bleed Blue (HBB).

image
image

(Capa do DVD, arte de

Pablo Zambeli, e as datas da turnê de “A Máquina do Tempo” ~ Divulgação)

O início dessa turnê do DVD/CD ao vivo começou no dia 15 de outubro, em Mendoza, na Argentina, como atração da 12ª edição do festival Mendorock. Os shows seguintes da banda acontecerão no Sul do Brasil.

Haverá uma apresentação na capital gaúcha justamente no Bar Opinião, onde o show de “Maquina do Tempo” foi filmado e, agora, celebrará a volta da banda.

 


Festival DoSol 2016 ~ O circuito independente na região nordestina e a parceria do selo paulistano HBB

image

(Cartaz de divulgação do Festival DoSol + Selo HBB com as bandas Hellbenders, Institution e Beef)

Sim, o Nordeste entra na rota do circuito alternativo musical, não se restringindo apenas no Sul e Sudeste. O Festival DoSol já bem estabelecido e chegando em sua 13ª edição,

sempre no mês de novembro, consiste em ser uma celebração da música brasileira nas suas mais diferentes vertentes.

O festival também consolida uma plataforma importante de divulgação, fomento e escoamento da produção musical do país, tendo como base a cidade de Natal (RN), mas o diferencial dele é que traça também rotas itinerantes que leva parte das bandas que passam pelo festival para outras cidades do Nordeste.

E foi dessa proposta que o selo paulistano HBB realizou uma parceria com o festival, que, a cada edição sempre seleciona três bandas que irão excursionar nessa turnê itinerante, passando pela curadoria de Antonio Augusto, o idealizador da HBB, que nos explica mais a respeito:

A ideia dessa turnê, com um ônibus na estrada, e propormos de inserir mais 3 bandas da HBB foi aceita de cara pela organização do Festival DoSol que se prontificou de toda produção, divulgação e agendamento dos shows no Nordeste, onde já acontecia esse festival, e eles já promoviam as próprias bandas da região.

image

(Rafael Gushiken/SP da garoa com Antonio Augusto/HBB em um evento do selo ~ SP da garoa/Natasha Ramos)

E para essa edição, a HBB escolheu uma banda do estilo rock, Hellbenders (GO), outra do hardcore, Institution (SP) e, por fim, uma de folk, Beef (RJ).

De 13 a 20 de novembro, a turnê dessas bandas passarão por cidades de Natal (RN),

Recife (PE),

João Pessoa (PB),

Mossoró (RN), Santa Rita (PB) e Campina Grande (RN).

Já faz cinco anos que o selo existe, e a ‘nossa missão’ é lutar pela música que a gente gosta, há diversos estilos em que trabalhamos, mas, o que sempre prevalece é a união de todas, pois para trabalhar e se manter na música independente, precisamos nos unir, mesmo que tenhamos estilos e crenças diferentes.

Assim Antonio nos evidencia a realidade de como é atuar nessa cena. Um registro muito legal que o selo dele fez, foi o documentário “Somos Fãs De Nós Mesmos” da participação das bandas na edição do Festival DoSol do ano passado, em 2015, e justamente mostra a importância, o empenho e as dificuldades de trabalhar com música alternativa no Brasil.

Vale a pena conferir!


(Documentário na íntegra “Somos Fãs de Nós Mesmos”, de 2015/16 ~ Reprodução canal YT)

 


Clemente ~ Pioneirismo com a sua banda clássica, Os Inocentes, e “a voz da experiência”

image

(Rafael Gushiken/SP da garoa com Clemente em um evento do selo HBB ~ SP da garoa/Natasha Ramos)

Clemente Tadeu Nascimento, paulistano da zona norte, o famoso líder e vocalista da banda Inocentes, que podemos dispensar apresentações, pois todos conhecem a sua trajetória e história de 35 anos na cena independente do Brasil.

O São Paulo da garoa realizou uma entrevista exclusiva com ele, realizada no evento de lançamento do documentário “Somos Fãs de Nós Mesmos” da HBB ocorrido no 1º semestre deste ano. Confira!

1- SPDG: Como experiente por estar há mais de 30 anos na música independente, o que acha dessa nova cena, geração?

C: “Cara, eu acho bem legal, e o mais engraçado é que eu já conheço essa geração há ‘200 anos’ (risos). Ou seja, eu já vinha acompanhando há um tempo, é uma nova cena, mas pra mim é uma cena velha, porque conheço eles todos desde ‘pivetes’ (mais risos).

E agora eles estão amadurecendo e começando a produzir suas próprias coisas, pois antes eles tinham bandas e aspiravam aquele mega sucesso, e sendo que não, eles não precisam disso, perceberam que podem se manter no alternativo e serem legais.

2- SPDG: A gente aprende com o tempo a se desapegar de certas coisas, não é?

C: “É que assim, quanto mais espontânea a coisa, mas legal fica, e foi o que vimos aqui hoje durante essa exibição do filme, entendeu? Eles estão todos relaxados e fazendo música.

3- SPDG: Outra coisa legal é essa irmandade, a união entre as bandas como mostrada no doc, e você, como a “voz da experiência”, acha importante isso também?

C: “Essa irmandade é essencial, pois é assim que se faz rock’n’roll, e, ainda mais quando se faz rock’n’roll alternativo, e é como o Haroldo (Magüerbes) fala: ‘Nós somos fãs de nós mesmos’, porque você tem uma banda e é fã de outra.

E fazendo uma relação com a minha época (anos 80) quando a gente era alternativo, o cara da Plebe tocava no Inocentes e o cara do Inocentes também tocava na Plebe, e essa troca que era muito legal, pois essa irmandade que fez a nossa cena crescer.

4- SPDG: E o que você tá fazendo atualmente?

C: “Tô com a Plebe Rude e também com o Inocentes. Lancei meu disco solo (pela HBB) e tenho o meu livro que está para lançar, ‘Meninos em Fúria’ que eu escrevi junto com o Marcelo Rubens Paiva.”

O disco “Antes Que Seja Tarde” citado faz parte do projeto solo do cantor intitulado de “Clemente e A Fantástica Banda Sem Nome”. E o livro que escreveu junto com o escritor Marcelo Rubens Paiva já foi lançado no dia 30 de setembro pela editora Alfaguara/Objetiva. “Meninos em Fúria” é um romance com relatos reais das experiências de ambos diante da cena musical, social e política nos anos 70 e 80.

 


EAEO Records ~ Selo independente lança edital para promover bandas autorais, ou seja, para quem tem uma, essa é a chance!

image

(Foto: Nino Andres ~ Divulgação)

O Edital 7″ EAEO surge com a proposta de abrir novas possibilidades de lançamento e publicação de música independente. O selo EAEO, que conta com nomes como Cólera, Cidadão Instigado, Juliano Gauche, Primos Distantes e Jonnata Doll & Os Garotos Solventes, vai se responsabilizar pela gravação, mixagem, masterização, design gráfico e prensagem de 300 discos de vinil de 7 polegadas para a banda selecionada.

Para participar, é necessário que as músicas sejam autorais e inéditas, que a banda tenha no máximo um disco lançado, esteja sediada no Brasil e tenha preenchido corretamente a ficha de inscrição: https://form.jotformz.com/eaeorecords/edital-eaeo-7. As inscrições vão de 13 de outubro a 13 de novembro

As músicas serão avaliadas independente da qualidade da gravação (desde que sejam audíveis, é claro). O que valerá para a curadoria são as próprias composições. O resultado será divulgado no dia 14 de dezembro.

Bandas que não se encaixem nas condições propostas pelo edital e se interessem em algum tipo de parceria com o selo, podem mandar seu material para eaeorecords@gmail.com.

Mais infos:

Leia o edital completo aqui: http://bit.ly/2dwo6zI
Bandcamp: https://eaeo.bandcamp.com/
Facebook: https://www.facebook.com/eaeorecords/
Instagram: https://instagram.com/eaeorecords/

 


Rafael Gushiken é o idealizador do São Paulo da garoa, que consiste em ser um projeto colaborativo ou um coletivo de divulgação do cotidiano paulistano por meio de várias expressões artísticas. Conheça o Instagram.com/spdagaroa e o Facebook.com/spdagaroa. Use a hashtag #spdagaroa se for fazer cliques nas mídias sociais!

Agradecimentos a todos os entrevistados, HBB e as assessorias!

The following two tabs change content below.
São Paulo da garoa, São Paulo, que terra boa!

Comentários

Comentários