SP da gastronomia SP da história

ESPECIAL #vemprocentro: Terraço Itália, o ícone que se mistura com a história de SP

O São Paulo da garoa lança a série de matérias especiais que conciliam GASTRONOMIA e HISTÓRIA, abordando alguns notáveis restaurantes do centro da cidade e a sua influência na região, pois muitos deles são os responsáveis pela revitalização e valorização local.
A proposta desse dossiê é de estimular a todos a conhecerem não só esses estabelecimentos, e sim, que criem uma relação mais afetiva com o centro e percebam a sua importância histórica: #VemProCentro!*

(*hashtag criada pelo casal de chefs Janaina e Jefferson Rueda, ela é proprietária do Bar da Dona Onça, e ele, da A Casa do Porco, ambos localizados na região central paulistana)


~ ESPECIAL GASTRONOMIA E HISTÓRIA
#vemprocentro
~

~ Capítulo 02. TERRAÇO ITÁLIA ~


Mesa com vista panorâmica e privilegiada para a cidade de SP (R. Gushiken / SP da garoa)

Passamos um dia (praticamente) no icônico e famoso Terraço Itália, localizado na região central, na esquina das avenidas Ipiranga e São Luís, onde, além de desfrutarmos um inesquecível “Almoço Gourmet”, tivemos o privilégio de conhecer todas as dependências do restaurante, composto por quatro ambientes (todos com uma vista panorâmica da cidade de SP).

O anfitrião de nossa “estadia” foi o maître Osmar, funcionário do Terraço há mais de 43 anos, que nos atendeu e serviu com muita simpatia e compartilhou várias histórias, tanto do restaurante como suas próprias experiências vividas. E que experiências!

No relato de suas histórias há importantes testemunhos de fatos históricos da nossa cidade, muito pela localização privilegiada em que se encontra o Terraço Itália, pois em seu entorno há inúmeros endereços famosos e “palcos” de muitos acontecimentos, como a Praça da República, o Largo do Arouche, entre outros.

Convidamos a todos para conferir a seguir o nosso especial sobre o Terraço Itália, lugar que não só se destaca na gastronomia paulistana como também faz parte da história da cidade, principalmente, da região central, onde pudemos reviver momentos e fatos marcantes, os quais o “Seu Osmar” nos relatou com muita propriedade e orgulho!

Vista panorâmica do Bar do Terraço Itália (R. Brasil / SP da garoa)

 


~ SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA… ~


Retrato histórico do Vale do Anhangabaú por Guilherme Gaensly, próximo ao ano de inauguração, 1892, do Viaduto do Chá (Reprodução)

No fim do séc. XIX São Paulo estava passando por inúmeras mudanças e transformações, como a construção do Viauto do Chá em 1892, que ocuparia a área em direção à Praça da República, e assim, consolidaria a existência do “Centro Novo”.

Clique para visualizar em tamanho maior: Ilustrações do hall da entrada do edifício (Reprodução)

Mais tarde, a partir dos anos 40, a urbanização se intensificaria nesta área, com as grandes avenidas desenvolvidas pelo prefeito Prestes Maia (1º mandato: 1938-45) que, por fim, culminaria na construção, em 1965, do Edifício Itália (onde se estabeleceria o Terraço Itália) que é considerado um dos marcos da arquitetura brasileira há mais de cinquenta anos, com 165 metros de altura, 46 andares e 19 elevadores.

Segundo os próprios documentos do lugar, a construção do edifício só foi permitida pelas autoridades municipais justamente por se localizar na esquina das avenidas Ipiranga e São Luís, um dos pontos chaves da região central e da cidade.

A administração dessa edificação, que escolhera a construtora Otto Meinberg com o projeto assinado pelo arquiteto Franz Heep, ficou a encargo da colônia italiana estabelecida na capital paulista, ou seja, da associação Circolo Italiano cuja sede era no próprio terreno onde se ergueria o Edifício Itália e que, depois de construído, passou a ocupar do 1º ao 3º andar do edifício.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O edifício tinha uma enorme importância para a colônia pois representava a ascensão dos imigrantes italianos que haviam começado as suas atividades no país, nas lavouras de café, e que já possuíam importância na formação cultural da cidade, em meados do século XX.

Foi ali, ao chegar ao topo daquele que era o edifício mais alto da cidade, melhor, o edifício em concreto mais alto da América do Sul (na época), e se deparar com uma vista única da cidade de São Paulo, que Evaristo Comolatti – imigrante refugiado da Itália pós-guerra e fundador do grupo Comolatti – tomou a decisão de abrir um luxuoso restaurante na cidade que o acolhera e pela qual tinha imensa gratidão: o Terraço Itália.

Clique para visualizar em tamanho maior: Ilustrações do hall da entrada do edifício (Reprodução)

As obras do restaurante iniciaram em 29 de setembro de 1967 com a intenção de se tornar um cartão postal com uma vista panorâmica de 360° graus da cidade. O restaurante não só se tornou um dos mais famosos de SP como se tornou um dos mais importantes pontos turísticos e um sofisticado ponto de encontro de celebridades e personalidades.

Em outubro de 2015, o restaurante sofreu um incêndio e perdeu parte de sua mobília na sua Sala Nobre, porém, não houve feridos no incidente.

Hoje, o Edifício Itália é o segundo maior prédio da capital paulista e continua sendo um dos marcos da cidade, protegido pelo Patrimônio Histórico, por ser um dos maiores exemplos de arquitetura verticalizada do país.

 


~ O RESTAURANTE ~


O restaurante é dividido em quatro ambientes: Sala Nobre, Sala São Paulo, Sala Panorama e Bar. Todos os ambientes oferecem vista panorâmica da cidade de São Paulo e jantar à luz de velas. Exceto pelo bar, que, apesar de ter luz de velas, não possui jantar.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Sala Nobre está localizada no 41º andar com destaque para vista da Avenida Paulista. Em sua programação estão o concorrido Almoço Gourmet de segunda a sexta (para o qual fomos convidados) e o jantar ao som de piano todas as noites. Também possui uma varanda e área externa que dá para admirar São Paulo ainda mais de perto.

 

Sala São Paulo do Terraço Itália (Divulgação)

Já a Sala São Paulo, apesar de estar situada no mesmo andar, tem destaque para a vista da área norte da cidade e a Serra da Cantareira. O ambiente é um pouco mais intimista e ideal para ocasiões especiais. Nela acontecem os tradicionais almoços aos finais de semana e o romântico jantar ao som de piano.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Sala Panorama está localizada um andar acima, o que muda completamente a vista e a forma de se ver a cidade de São Paulo. Nela acontecem os jantares dançantes embalados por banda ao vivo que traz em seu repertório, clássicos da música nacional e internacional.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Bar também está localizado no 42º andar e já foi eleito inúmeras vezes como “o melhor lugar para ir a dois em São Paulo“. Ele tem decoração clássica e iluminação à luz de velas com destaque para sua Enomatic (dispensa eletrônica de bar para armazenar vinhos) localizada ao centro do bar. Também oferece programação musical ao vivo e dias de semana, abre após às 15h, e aos finais de semana, após às 12h.

 


~ A HISTÓRIA EM PESSOA: “SEU OSMAR” ~


Ricardo em um bate-papo bem informal com o maître “Seu Osmar” no Bar do Terraço (R. Gushiken / SP da garoa)

O maître do Terraço Itália

O clássico não está só no cardápio e na imponente vista do restaurante, mas em todos os ambientes e, principalmente, no atendimento dos garçons e dos maîtres. Como exemplo, a nossa recepção que foi extremamente calorosa.

Desde o primeiro momento que conheci o maître Osmar, ele se referia sempre pelo meu nome e com uma simpatia e desenvoltura poucas vezes vistas. Quem olhava de fora certamente acharia que éramos amigos de longa data. Informal na medida do possível, extremamente respeitoso, divertido e simpático. Foram difíceis as vezes que me senti tão confortável em um restaurante para conversar com um maître, bater um papo, falar besteira e pedir opiniões e sugestões de cardápio, sem contar os mimos.

Naquele momento eu percebi que o restaurante não se tratava somente dos pratos que experimentei e sim do seu atendimento. Entre eles, a bagagem de um dos maîtres que está na casa por 43 anos e continua com um baita “tesão” em receber bem os clientes e mimar na medida do possível!

A impressão que dá, é que lá tudo é possível. Se você precisar solicitar algo fora do padrão, irão tentar resolver e deixar o cliente feliz, isso ficou extremamente claro na nossa conversa. O que mais chama a atenção é que é genuíno, não vão cobrar a mais se você pedir “uma porção extra” que não fazia parte do seu prato (e sim de outro), ou se você quiser fazer um arranjo no seu menu. Não é pelo dinheiro, é pela possibilidade de atender e satisfazer o cliente!

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que não falta no Terraço Itália são histórias para contar. Basicamente todos os presidentes do país (exceto a ex-presidente Dilma) e políticos importantes já estiveram lá, assim como inúmeras celebridades nacionais, como o Pelé (com quem Osmar teve oportunidade de conversar), e celebridades internacionais, como Frank Sinatra, Ray Conniff, Silvio Berlusconi e até mesmo a Rainha Elizabeth II.

Mas, talvez a história mais interessante a se contar seja a do próprio maître Osmar. Foi de lá do Bar do Restaurante que Osmar além de me dar uma aula de geografia do centro de São Paulo, apontando prédio a prédio, me contou a sua e a história e da cidade também.


Maître Osmar trabalha há 43 anos no restaurante (R. Gushiken / SP da garoa)

A trajetória de Riolândia ao Terraço

Nascido no interior de São Paulo, em Riolândia, uma cidade localizada a 136km de São José do Rio Preto, na divisa com Minas Gerais, em 1974, Osmar (hoje aos 62 anos) na época, “caipira, magrinho, com seus 56kg”, como o próprio se definiu, começou a fazer um curso de garçom no SENAC de Águas de São Pedro, que também oferecia cursos de cozinheiro, barman e recepcionista, e por lá ficou 6 meses.

Um mês antes de terminar esse curso Osmar me conta que em um final de semana o antigo gerente do Terraço Itália, Aristides Ramos, foi de São Paulo até Águas de São Pedro para selecionar 9 alunos para trabalhar no restaurante. Entre os selecionados, estava um aluno de Ribeirão Preto que pretendia trabalhar no restaurante da própria família, sem interesse em ir trabalhar em São Paulo. Aristides deu um cartão de visita a este e aos outros selecionados.

Apesar do imenso interesse em trabalhar na capital, Seu Osmar não foi selecionado, mesmo assim estava disposto a tentar a vida na cidade grande. Quando ele decide ir a São Paulo à procura de emprego, seu amigo de curso que havia sido selecionado comenta que não tinha interesse e deu-lhe o cartão que recebera com o contato do RH. Seu Osmar ficou receoso, mas, com o estímulo dos outros selecionados decidiu ir até ao bairro da Mooca, no dia 10 de agosto de 1974, no antigo RH do Terraço Itália com os demais 8 selecionados. Lá, talvez por sorte, o gerente que fez a seleção não estava e apenas foram dadas as fichas para os candidatos preencherem.

Eis que finalmente, no dia 19 de agosto de 1974, Seu Osmar começou a trabalhar no Terraço Itália e teve, pela primeira vez na vida, a sua carteira de trabalho preenchida. Sim, era o primeiro emprego dele, muito mais que isso, um sonho realizado!


A história de SP e do Terraço se misturam

Vista do Terraço para a avenida Ipiranga com parte da praça da República (R. Brasil / SP da garoa)

Nesses 43 anos de Terraço Itália, Seu Osmar teve a oportunidade de ver “de camarote” a história do centro de São Paulo acontecer bem na sua frente, em uma vista mais que privilegiada. Presenciou a inauguração do metrô (que não existia na época) e os tempos de passar pela Praça da República lotada de jovens na madrugada afora (sem medo de que nada acontecesse), assim como pegar um ônibus elétrico na rua do Arouche que passava por dentro da Praça da República, seguia na rua 7 de abril e ia embora pela rua Cel. Xavier de Toledo.

Foi lá do Terraço onde Seu Osmar viu os antigos prédios da Praça da Sé serem demolidos e presenciou a cidade de São Paulo virar a “selva de pedra” com a construção de inúmeros prédios. Ele brinca com os outros funcionários do restaurante, sempre dizendo:

Procure um prédio no seu bairro que tenha mais de 40 anos. Aqui do Terraço eu vi todos esses prédios nascerem”.

Naquela época, os únicos aeroportos da cidade eram os de Congonhas e Campo de Marte, e comenta a respeito:

Você constantemente via aviões pousando aqui no Campo de Marte e correndo pela pista. Hoje você não vê a pista mais, os prédios que subiram cobriram tudo. Nessa área mudou tudo. Até hoje, mesmo aqui no centro, se você procurar, todos os dias você vê um prédio novo sendo construído.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No passar dos anos, Seu Osmar não só presenciou as mudanças na cidade de São Paulo, como no próprio restaurante:

Antigamente as pessoas vinham de terno e hoje elas usam jeans. Mudou a música também, antigamente a gente tinha orquestra com 20 pessoas, hoje não tem mais isso. As pessoas tinham tempo para ficar apreciando música.”

E completa, afirmando que hoje em dia, as coisas são mais rápidas:

“Hoje as pessoas pedem o jantar e não esticam muito mais. Antigamente o jantar no centro funcionava até às 4h da manhã. Hoje quando é 1h30 já não tem mais ninguém, primeiro pela segurança e um pouco também pela Lei Seca.”

Na conversa com Seu Osmar, ficou claro o orgulho que ele tem de fazer parte da história do Terraço Itália. Orgulho que eu também compartilho, por ter tido a oportunidade de presenciar esse simpático senhor me contando as inúmeras histórias do restaurante. Ele não conseguiu apenas um emprego, ele dedicou a vida realizando um sonho como jamais teria imaginado. E não foi um sonho pessoal, como eu mesmo pude constatar:

É o sonho de inúmeras pessoas que sobem os 49 andares do Edifício Itália, todos os dias, para festejar suas bodas de prata, bodas de ouro, comemorar vitórias, aniversários e realizar inúmeros pedidos de casamento! É disso que se trata o Terraço Itália, de sonhos, emoções e histórias, e não só de gastronomia!

Reprodução Instagram

 


~ AGORA VAMOS PARA AS DELÍCIAS DO TERRAÇO ~


Este slideshow necessita de JavaScript.

O Terraço Itália mantém a tradição no cardápio de não possuir “perfumarias”, com um foco no tradicional. Lá você encontrará itens clássicos que permanecem por décadas no menu, devido a sua primazia em execução e sabor, que se mantém por mais de 50 anos, “o que não é para qualquer um“, como afirma a renomada chef Janaína Rueda do Bar da Dona Onça, em seu livro recém-lançado com o jornalista Rafael Tonon“50 Restaurantes com mais de 50”.

Existe um relato do jornalista Thomaz Souto Correa (no livro “50 Restaurantes com mais de 50”), que exemplifica bem o meu sentimento em relação “a fórmula de sucesso” do Terraço Itália: “Outro aspecto é o ingrediente inerente ao sucesso desses restaurantes: os cardápios são praticamente imutáveis. Não tem ninguém fazendo ‘espuma de braciola’ nem ‘coulis de abobrinha’. Há exceções, claro, mas a grande maioria conhece exatamente o que o cliente gosta e sabe que ele não quer novidades que desfigurem a comida que lhe dá prazer há tanto tempo.”

Adega do Terraço Itália que fica no próprio restaurante (R. Gushiken / SP da garoa)

Com a cozinha comandada pelo chef toscano Pasquale Mancini, o restaurante mantém alguns clássicos de décadas passadas em seu cardápio e também conta com uma adega com mais de 200 rótulos dentre vinhos do velho e do novo mundo.

De segunda a sexta o restaurante oferece um Almoço Gourmet com direito a Couvert, Entrada, Prato Principal e Sobremesa pelo valor fixo de R$112,00 por pessoa. E foi esse almoço que experimentei, acompanhado do Rafael Gushiken e de um bom vinho Malbec.

Apesar de ser um cardápio “fechado” você pode escolher dentre inúmeras opções. Só entre os pratos principais eram 12 opções, entre carnes, aves, peixes, massas e risotos, e mais 6 opções de entradas e 6 opções de sobremesas. Bem diferente dos menus “fechados” que costumo ver, que, geralmente, você só tem 2 ou 3 opções de escolha.

De entrada pedimos Berinjela Grelhada com Presuto de Parma e Grana PadanoCoquetel de Camarão ao Molho Golf (sugestão do maître Osmar), que, segundo ele, faz parte do cardápio há tempos.

Entrada: Berinjela Grelhada com Presuto de Parma e Grana Padano (R. Brasil / SP da garoa)
Entrada: Coquetel de Camarão ao Molho Golf (R. Brasil / SP da garoa)

Para o prato principal pedimos Risoto com Camarão, Mascarpone e Limão Siciliano (sugestão do maître) e Filet Mignon “Au Poivre Vert” e Batatas Sauteé.

Prato Principal: Risoto com Camarão, Mascarpone e Limão Siciliano (R. Brasil / SP da garoa)
Prato Principal: Filet Mignon “Au Poivre Vert” e Batatas Sauteé (R. Brasil)

E para fechar, pedimos as sobremesas Pêras ao Vinho e Gelato de Natas com Amarenas e Cheesecake com Gelato de Frutas Vermelhas (sugestão do maître).

Sobremesa: Pêras ao Vinho e Gelato de Natas com Amarenas (R. Brasil / SP dagaroa)
Sobremesa: Cheesecake com Gelato de Frutas Vermelhas (R. Brasil / SP da garoa)

 

 


AS IMPRESSÕES ~


Ricardo Brasil na Sala Nobre do Terraço (R. Gushiken / SP da garoa)

🍽 O restaurante surpreendeu não só na receptividade e no carisma das pessoas que nos atenderam na Sala, mas também no sabor. Apesar de algumas pessoas poderem achar um pouco “salgado” o preço do Almoço Gourmet, eu posso falar com toda tranquilidade que não é! Sem sombra de dúvida foi um dos melhores “custos x benefícios” que encontrei ultimamente em São Paulo, pois não teve nenhum ponto fraco, nem mediano. Estava tudo extremamente saboroso.

🍽 Entradas: A Berinjela estava ótima, mas entre os dois preferi o Coquetel de Camarão, que estava realmente recheado de camarões.

🍽 Pratos Principais: O Risoto de Camarão novamente surpreende pelo sabor e pela quantidade de “recheio”. Como falei antes, no início da matéria, o Terraço mantém as receitas tradicionais sem “inventar” demais. Certamente é uma receita antiga que agrada todos os clientes (inclusive a mim) e sem economia nos ingredientes, o que deixa tudo mais gostoso. O Filet Mignon “Au Poivre Vert” também estava muito bom. Preferi o Risoto.

🍽 Sobremesas: As Pêras ao Vinho estavam ótimas, mas o Cheesecake com Gelato de Frutas Vermelhas veio quentinho, uma delícia! Entre os dois minha sugestão é a mesma do maître Osmar: o Cheesecake! 😋

Sinceramente, a opinião que posso deixar aqui é só uma: vá ao Terraço Itália pelo menos uma vez na vida. Seja pela vista, seja pela comida, seja para comemorar um evento ou seja para bater um papo com um dos maîtres ou um dos garçons! Arrependimentos? Eu creio que você não terá.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agradecimentos especiais a todos do Terraço Itália e ao Seu Osmar pela calorosa recepção! Ele até foi o nosso fotógrafo do dia!

 


Serviço Terraço Itália:

Terraço Itália (R. Gushiken / SP da garoa)

Endereço: Av. Ipiranga, 344 – 41º andar – Centro – São Paulo/SP
Telefone: (11) 2189-2929
Funcionamento:
2ª a 5ª –  Almoço: das 12h às 0h
6ª e Sáb. – das 12h às 01h
Dom. e feriados – das 12h às 23h

Site: http://www.terracoitalia.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/terracoitalia/
Instagram: https://www.instagram.com/terracoitalia/

Hall de entrada do edifício Itália (Reprodução)

Colaboração e edição de Rafael Gushiken

Aproveite para conhecer o nosso grupo no Facebook, clique aqui e seja um membro para saber em primeira mão das nossas matérias recentes e outros conteúdos exclusivos!

The following two tabs change content below.
Ricardo Brasil Lopes é colaborador de assuntos variados, como entretenimento, cultura, viagens e gastronomia, para o São Paulo da garoa. Atualmente ele é trader Bovespa e amante de inúmeras experiências de vida. Seu perfil pessoal é @ricardobrasillopes no qual gosta de registrar belos cliques.

Comentários

Comentários