O adeus à Mirthes Bernardes, criadora do Piso Paulista

SP da história

Criadora do tão conhecido desenho geométrico das calçadas paulistanas, falece e deixa o seu legado memorável de um ícone tão representativo da nossa cidade.

Montagem da foto de capa: Folhapress e Mosaico Paulista (Reprodução)

Deixe seu e-mail para receber notificações de novas matérias publicadas aqui neste portal www.spdagaroa.com.br:

Por meio de um post publicado no dia 18/12/2020 em seu perfil pessoal do Facebook, é que vi o anúncio do falecimento de Mirthes Bernardes, que tinha por volta de 85/86 anos de idade.

Post sobre o falecimento de Mirthes Bernardes em seu perfil pessoal (Reprodução Facebook)

Pra quem ainda não a conhece, ela é a criadora e autora do tão conhecido desenho geométrico do mapa do estado de SP, o qual foi escolhido via um concurso entre 1965-1966 (gestão do prefeito Faria Lima) para padronizar o calçamento da nossa SP da garoa.

A Mirthes, nessa época, era funcionária pública e trabalhava na Secretaria de Obras da Prefeitura de São Paulo como desenhista de arquitetura, e foi motivada pelo seu próprio chefe a participar desse concurso, pois a própria não tinha tantas pretensões com os seus traços que rasbiscara inicialmente em um papel vegetal.

Mirthes e a sua icônica obra do mapa geométrico do estado de SP nas calçadas de ladrilhos: na foto de Eduardo Anizelli/Folhapress; na exposição que inaugurou o Sesc 24 de maio por Carla Lozardo; e na ilustração de Bianca Nazari para o livro “Mulheres de SP” (Alana Carvalho).

Mesmo com o sucesso alcançado, ela sempre afirmava que não ganhou nenhum centavo e dividendo pelo uso disseminado de sua criação, principalmente de grandes marcas (como a Havaianas) e instituições privadas (como o shopping Morumbi e o banco Santander), que comercializaram o seu desenho em seus produtos, e nem sequer, creditaram o nome de Mirthes.

Ela chegou a patentear a sua obra, e foi informada que receberia uma porcentagem pelas calçadas implementadas mas não pelos canteiros centrais com o seu desenho. E nem assim, em vida, recebeu algo por isso.

Logotipo do projeto SP da garoa, no qual pode ser observado que uma parte é formada por esse desenho geométrico do formato do mapa do estado de SP, justamente uma reprodução de como é aplicada na calçada de ladrilho hidráulico, e que foi propositalmente elaborada desse jeito para homenagear a Mirthes Bernardes. A própria chegou a ver e ficou agraciada por isso. (Criação do logotipo por Rafael Gushiken)

Apesar de tudo, ela sempre foi devota à cidade de São Paulo, e cobrava dos governantes a restauração correta das calçadas com seu desenho, os mosaicos compostos de ladrilhos hidráulicos e também de pedras portuguesas, que ainda persistem em alguns endereços da região central, como a avenida São Luís; e também no calçamento da Assembleia Legislativa de SP e onde está o Monumento às Bandeiras, tudo próximo ao parque do Ibirapuera.

Eu cheguei a trocar recados via redes sociais com a Mirthes, parabenizando-a na época (abril de 2016) em que foi homenageada pelo coletivo “Mosaico Paulista” em parceria com a Associação dos Moradores de Joaquim Antunes (AMJA), os quais redesenharam em azulejos e cerâmicas, personalizando o famoso mosaico de Mirthes na escadaria localizada na rua Joaquim Antunes que dá acesso para a rua Teodoro Sampaio, na região de Pinheiros, e a qual foi batizada de “Escadaria Mirthes Bernardes”.

À esquerda, Mirthes no dia da inauguração (algum dia de abril de 2016) da escadaria restaurada da rua Joaquim Antunes (Pinheiros), a qual foi batizada com o seu nome (Ana Paula Roge). À direita, o coletivo “Mosaico Paulista” posando com a artista na escadaria (Mosaico Paulista).

Post que havia realizado na época da inauguração da Escadaria Mirthes Bernardes (Reprodução Facebook)

Parabenizo mais uma vez dona Mirthes, agora uma mulher paulista e notável da história da nossa cidade, e que seja sempre lembrada e homenageada pela sua arte tão emblemática e representativa de São Paulo. Viva Mirthes Bernardes!

Registros mais recentes (dezembro de 2019) da escadaria pela Rueira Paulistana: à esquerda acima, ao lado da escadaria, repare na releitura em mosaico de uma obra de Mirthes, intitulada de “As oito cores do Ipê”; à direita acima, a placa com a homenagem à Mirthes registrada; abaixo, a foto da Escadaria Mirthes Bernardes. (Reprodução Instagram)

Para saber mais sobre Mirthes ou conferir as outras homenagens feitas para a artista, veja também:

1. Entrevista especial da TV Folha com Mirthes Bernardes, realizado no ano de 2015 (Reprodução Youtube):


2. Livro “#MulheresDeSP” por Alana Carvalho, o qual cita Mirthes entre outras notáveis (link para compra: https://linktr.ee/vivacultura):


3. Homenagem feita também por Wans Spiess do projeto CalçadaSP que foi publicada no portal do projeto A Vida No Centro:


4. Matéria publicada neste portal no dia 22/06/2016 e que cita a homenagem feita à Mirthes com a inauguração da escadaria restaurada da Joaquim Antunes:

Guarde este Pin no teu Pinterest!

Clique nas imagens e siga-nos no Instagram @spdagaroa!

Deixe seu e-mail para receber notificações de novas matérias publicadas aqui neste portal www.spdagaroa.com.br:

Entre no nosso grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/spdagaroa/ e seja um membro para saber em primeira mão das nossas matérias recentes e outros conteúdos exclusivos!
The following two tabs change content below.
Rafael Gushiken

Rafael Gushiken

Idealizador e editor-chefe at São Paulo da garoa
Rafael Gushiken é o idealizador e editor-chefe do portal São Paulo da garoa, para o qual seleciona as melhores dicas sobre cotidiano, cultura, história, turismo e gastronomia da terra da garoa; com a realização de exclusivas coberturas jornalísticas de eventos e passeios de interesse ao público paulistano e paulista em geral. É publicitário de formação, especializado em Marketing e Conteúdo Digital, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas; e se "aventura" como fotógrafo e curador cultural.

Comentários

Comentários

Tagged