Reabertura dos Museus em São Paulo

destaques SP da cultura SP ilustrada

Quais instituições culturais da capital e do estado de São Paulo retomaram as suas atividades? Que medidas de segurança e higienização providenciaram? Saiba tudo a seguir, e programa-se caso se sentir seguro.

Foto de capa: Montagem com cliques de R. Gushiken (SP da garoa) e Bruno Leão (Farol Santander/Divulgação)

Deixe seu e-mail para receber notificações de novas matérias publicadas aqui neste portal www.spdagaroa.com.br:

A retomada

Desde o dia 09 de outubro de 2020 que as instituições culturais, a maioria gerida pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, puderam retomar as suas atividades presenciais, após o avanço à fase verde do Plano São Paulo.

Já foram contabilizados que mais de 17 mil pessoas visitaram essas instituições, número que representa cerca de 21% em relação ao período anterior à pandemia. Em 2019, foram 4 milhões de visitantes o ano todo, o equivalente a 333 mil por mês, média que se manteve ainda no primeiro trimestre deste ano, 2020, e antes da quarentena obrigatória.

Protocolos de saúde

As instituições devem cumprir rigorosamente todas as normas sanitárias, as quais foram elaboradas pelo Centro de Contingência da Covid-19 (Governo Estado SP) e com base nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Saiba quais são:

Exemplificações de sinalização das medidas preventivas na Pinacoteca SP (R. Gushiken/SP da garoa)

✅ Operação com no máximo 60% da sua capacidade de público;

✅ Redução do horário de funcionamento;

✅ Eventos com mais de 600 pessoas devem ter autorização especial da Secretaria Municipal de Licenciamento; 

✅ Distanciamento do público de 1,5 metro, com sinalizações no piso; e os seus corredores com espaçamento de 2 metros para a circulação de pessoas;

✅ Criação de comunicados visíveis ao público sobre as medidas de segurança e higiene adotadas pelo estabelecimento e capacidade permitida do espaço;

✅ Direcionamento do uso de elevadores apenas para pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção;

✅ Adoção de ingressos digitais, bem como conferência visual ou por meio de leitores óticos, sem contato manual do atendente;

✅ Fraldários fechados, assim como áreas de espera, para não exceder a permanência do público no local; 

✅ Obrigatoriedade do uso de máscaras por todos, do público à equipe de atendimento, e desinfecção diária do local; além de disponibilização de álcool em gel 70% para higienização das mãos;

✅ Os museus, em particular, precisam limitar as visitas em grupo a no máximo 10 pessoas, respeitando as regras de distanciamento, e optar por exposições que não exijam toques. 

A lista das instituições culturais e os destaques da programação na retomada

O SP da garoa listou abaixo 27 museus e instituições culturais da capital e alguns do estado, os quais já reabriram nessa nova flexibilização, e detalhamos quais são as suas exposições em cartaz, e também, quais as suas outras atividades retomadas com a presença do público. Confira tudo a seguir e tome nota! E lembrando, só vá se realmente estiver seguro e cumpra também com os protocolos de segurança.

1/3. Museus e instituições culturais da capital geridos pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo:


ESPECIAL: Pinacoteca de São Paulo – Pina Luz

Quando reabriu: 15 de outubro
Horário de funcionamento: das 14h às 20h
ExposiçãoOSGEMEOS: Segredos
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.pinacoteca.org.br

O SP da garoa conferiu presencialmente a exposição destaque da Pinacoteca SP, a qual traça um panorama cronológico, do início dos anos 80 até 2019, para a carreira dos artistas Otávio e Gustavo Pandolfo, mais conhecidos como OSGEMEOS.

Já havíamos dado a notícia sobre “Segredos” na nossa matéria de novembro de 2019, da qual anunciávamos que a programação de exposições do museu para este ano (2020) estaria focada nas relações entre arte e espaço urbano.

Infelizmente, o rumo das aberturas e a sequência das exposições que entrariam em cartaz foram alteradas, mas pelo menos, a tão aguardada de OSGEMEOS pôde ficar aberta ao público nessa retomada permitida.

Confira a seguir os registros em vídeos e cliques, desse universo lúdico com o marcante personagem amarelo, sob influências da cultura hip hop e de outros artistas de rua internacionais de renome, como o brtânico Banksy.

Por Rafael Gushiken, editor do site e idealizador do projeto SP da garoa

Acima, tietagem com os irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, e abaixo, registros da exposição “OSGEMEOS: Segredos” em cartaz na Pinacoteca (R. Gushiken/SP da garoa)

Reprodução IGTV – Instagram @spdagaroa (R. Gushiken/SP da garoa) :


Memorial da América Latina

Quando reabriu: 13 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 15h
Evento destaqueBelas Artes Drive-In
Site (p/+infos): https://memorial.org.br/

As dependências internas do Memorial com exposições, auditórios, etc., permanecem fechadas. Somente as áreas externas — Pavilhão da Criatividade e a Biblioteca Latino-Americana — que estão abertas ao público todos os dias, das 9h às 20h.

E o único evento autorizado no Memorial é o “Belas Artes Drive-In“, que permite a entrada nos espaços em veículos, e de dentro dele, que o público assiste a sessão do filme, respeitando o isolamento social entre outros protocolos de segurança.

Fonte: Site Oficial / Foto: Divulgação


Casa das RosasEspaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Quando reabriu: 14 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
Exposição: Arteletra em Trânsito
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.casadasrosas.org.br/

Os visitantes podem conhecer a estrutura do museu advinda da década de 1920, quando o casarão no estilo clássico francês foi projetado pelo arquiteto Francisco de P. Ramos de Azevedo e onde seus herdeiros viveram até os anos 1980.

Para todas as idades, a exposição “Arteletra em Trânsito” retorna aos espaços internos do museu, com as relações e experiências entre poesia e imagem, a partir da parceria entre o poeta Álvaro Faleiros e o artista e ilustrador Fernando Vilela.

São 93 trabalhos desenvolvidos nos últimos 20 anos, entre eles obras inéditas, organizados em séries de gravuras, pinturas, esboços, desenhos, estudos, processos e poemas dos livros “Caracol de Nós“, “À Flor do Mal“, “Meio Mundo“, “Achando a Chave“, “Invento no Vento“(inédito), “O Voo de Vadinho“e “O Sapoeta“. 

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada e Exposição “Arteletra em Trânsito” por André Hoff (Divulgação)


Casa Guilherme de Almeida

Quando reabriu: 14 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
Exposição: 100 anos de Sóror Dolorosa
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.casaguilhermedealmeida.org.br

Móveis, objetos e livros que pertenceram ao patrono do museu, poeta, tradutor e jornalista Guilherme de Almeida, e à esposa Baby de Almeida, continuam como parte da exposição de longa duração

Os visitantes também encontram o acervo de obras de artes, entre elas gravuras, desenhos, esculturas e pinturas, em grande parte oferecidas por artistas modernistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Victor Brecheret.

O museu literário e biográfico ainda oferece nova exposição de curta duração que marca o centenário de “Livro de horas de Sóror Dolorosa: a que morreu de amor (1920)de Guilherme de Almeida.

O público pode conhecer a repercussão, na época, do lançamento da obra de poemas sobre os conflitos entre a adoração religiosa e a ligação carnal por meio da personagem de uma monja que sofre uma desilusão por um relacionamento.

As edições raras do livro e como o mesmo inspirou a escultura em bronze “Sóror Dolorosa” (1921) de Victor Brecheret, obra integrante do acervo da instituição e que esteve na mostra do artista na Semana de Arte Moderna de 1922, completam a exposição.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Interna por André Hoff (Divulgação) e registro de Guilherme de Almeida e sua esposa Baby de Almeida (Reprodução)


Casa Mário de Andrade

Quando reabriu: 14 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
Exposições: Mário & Alphonsus revisitados e Tarsivaldo
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.casamariodeandrade.org.br/home

A exposição de longa duração “Morada do Coração Perdido” traz a trajetória multifacetada do escritor, músico, pesquisador e gestor cultural Mário de Andrade, as curiosidades da residência onde o modernista e seus familiares viveram entre as décadas de 1920 e 1940, além de como o imóvel, que completa 100 anos em 2020, se tornou instituição museológica.

As pessoas que procuram pelo museu também encontram a retomada das exposições “Mário & Alphonsus revisitados” e “Tarsivaldo“.

A primeira é voltada aos 100 anos da visita de Mário de Andrade ao poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens, em Mariana (MG), e a repercussão do famoso encontro por meio de referências em cartas e publicações da época.

A segunda é uma celebração à amizade com afetos e conflitos entre Mário e o casal Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade.

O que hoje se conhece como “shippar” (unir nomes de um casal pelo qual torce para dar certo) equivaleria ao que Mário fez nos anos 1920, quando chamava o casal de “Tarsivaldo” em correspondências pelas quais abordavam situações corriqueiras, os rumos artísticos no Brasil e outros assuntos.

A exposição “Tarsivaldo” tem cerca de 30 documentos, entre reproduções de cartas, de fotografias, cartões-postais e de publicações de jornais, junto a uma vitrine com alguns livros e revistas modernistas.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Interna por André Hoff (Divulgação) e registo de Mário de Andrade por Victor Knoll (Reprodução)


Museu do Futebol

Quando reabriu: 15 de outubro
Horário de funcionamento: das 13h às 19h
Exposição: Pelé 80 – o Rei do Futebol
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://museudofutebol.org.br/

A exposição principal do Museu do Futebol é um percurso envolvente e emocionante pela história do esporte e do Brasil.

São quinze salas que ocupam 6 mil metros quadrados e instigam o visitante a experimentar sensações e compreender por que, no Brasil, o futebol é mais do que um esporte: é nosso patrimônio, parte de nossa cultura e de nossa identidade.

Já, “Pelé 80 – o Rei do Futebol” é uma exposição lúdica, que busca transpor a imagem do Rei a uma visualidade universal e contemporânea.

Toda a trajetória de Pelé é contada por meio da montagem e animação de 444 de imagens históricas, que cobrem desde os seus primeiros anos em Três Corações, interior de Minas Gerais, até a conquista da fama mundial na Copa de 1958.

Como também, e não menos importante, os seus 18 anos defendendo o Santos Futebol Clube e a sua consagração definitiva e histórica na Copa de 1970.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Internas do Museu do Futebol (Divulgação)


Estação Pinacoteca (Pina Estação) e Memorial da Resistência de São Paulo

Quando reabriu: 15 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 18h
Exposições na Pina Estação: Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura e Canto Geral: a luta dos direitos humanos
Exposições no Memorial: Joan Jonas: Cinco décadas e Hudinilson Jr.: Explícito
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://estacaopinacoteca.byinti.com/#/ticket/

A Estação Pinacoteca, ou a “Pina Estação, é o outro edifício da Pinacoteca de SP (próximo ao da “Pina Luz”) aberto ao público e que abriga parte das exposições temporárias e do acervo da instituição. E nessa reabertura, a Estação Pinacoteca entra em cartaz com duas exposições inéditas.

Ocupando o 4º andar, está a “Joan Jonas: Cinco Décadas“, a primeira exposição individual na América do Sul da pioneira da videoarte e da performance, Joan Jonas. 11 obras da artista podem ser conferidas, dentre elas três instalações de grande escala.

E no 2º andar, está a exposição “Hudinilson Jr.: Explícito“, que reúne 77 obras provenientes de uma expressiva e recente doação com 95 itens ao acervo do museu realizada pela família do artista e pela Galeria Jaqueline Martins. Foram reunidos fotografias, xilogravuras, desenhos, documentos, cadernos, objetos e trabalhos em xerografia.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do edifício da Pina Estação e onde se localiza também o Memorial da Resistência (Divulgação) e registro da instalação de Joan Jonas por Agostino Osio e da obra de Hudinilson Jr. (Reprodução)

E no mesmo edifício da Estação Pinacoteca, ocupando o térreo e o 3º andar, está o Memorial da Resistência de São Paulo, uma instituição dedicada à preservação de referências das memórias da resistência e da repressão políticas do Brasil republicano (1889 à atualidade) por meio da musealização de parte do edifício que foi sede, durante o período de 1940 a 1983, do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP, uma das polícias políticas mais truculentas do país, principalmente durante o regime militar.

Para a reabertura, o Memorial oferece uma exposição fixa e duas temporárias. A fixa, denominada a de longa duração, é composta pelo que restou do espaço carcerário do Deops/SP: 4 celas, o corredor principal e o corredor do banho de sol, locais que testemunharam atrocidades e desencanto. Também acolheram atitudes de coragem, fraternidade e resistência e hoje servem como inspiração para a valorização dos princípios democráticos e o respeito à diferença.

Já a exposição temporária inédita, é uma realização em parceria com o Museu da Diversidade Sexual, sob a curadoria de Renan Quinalha, intitulada de “Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura“. Ela faz um recorte sobre as relações entre autoritarismo e diversidade sexual e de gênero, mas vai além de demonstrar a narrativa da repressão durante a ditadura e se volta à série de ações de resistência que surgiram, neste período, em defesa da diversidade. Dentre os destaques estão fotografias de Vânia Toledo e um desenho inédito da cartunista Laerte Coutinho no tocante a pluralidade de gêneros.

E ainda permanecida em cartaz, a outra exposição temporária “Canto Geral: a luta dos direitos humanos“, trazendo a transposição em gravuras dos 30 artigos da “Declaração Universal dos Direitos Humanos” realizada por importantes artistas brasileiros. O propósito é uma reflexão sobre a importância e o impacto de cada um desses artigos e um convite à prática de um olhar atento à constante ameaça de naturalização das mais diversas formas de violência.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Internas dos ambientes do Memorial (Divulgação) e registro por James Green da exposição “Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura” (Reprodução)


Museu da Casa Brasileira

Quando reabriu: 16 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 15h
Exposições: Casas do Brasil: Conexões Paulistanas e Urbanismo Ecológico 2020
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://mcb.org.br/pt/

O Museu da Casa Brasileira (MCB) dedica-se às questões da morada brasileira pelo viés da arquitetura e do design.

Em uma das principais salas expositivas, apresenta a mostra “Casas do Brasil: conexões paulistanas“, um trabalho realizado pelo fotógrafo Marcos Freire ao longo de sete anos percorrendo o território paulistano.

Com curadoria da arquiteta e designer Didiana Prata, a mostra apresenta um recorte das milhares de fotografias feitas em 94 dos 96 subdistritos de São Paulo, além de outros 3 municípios da metrópole.

Ocupando o hall do museu, está a “Urbanismo Ecológico 2020“. A iniciativa evidencia métodos imaginativos e práticos para abordar as mudanças climáticas e a susten­tabilidade no entorno urbano, entendendo a ecologia como um projeto ético e político que abarca o meio ambiente, não apenas como realidade física, mas também sob o aspecto das relações sociais e da subjetividade humana.

Fonte: Site Oficial / Foto: Panorama do MCB por Chema Llanos (Divulgação) e imagem de mapa (Reprodução) / Vídeo: “Visita em casa | Casas do Brasil: Conexões Paulistanas” (Reprodução Youtube)


MIS – Museu da Imagem e do Som

Quando reabriu: 16 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
Exposição: John Lennon em Nova York por Bob Gruen
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.mis-sp.org.br

O Museu da Imagem e do Som de São Paulo é um dos mais movimentados centros culturais da cidade de São Paulo, além das exposições, o MIS oferece uma grande variedade de programas culturais, com eventos em todas as áreas e para todos os públicos: cinema, dança, música, vídeo, fotografia e muito mais.

A exposição “John Lennon em Nova York por Bob Gruen” marca a retomada do museu, que já havia sido inaugurada em 13 de março de 2020 – e suspensa temporariamente desde 17 de março, devido à pandemia da Covid-19.

Por meio de uma curadoria inédita para o Brasil, assinada pelo jornalista Ricardo Alexandre, a exposição traz fotografias feitas por Bob Gruen, um dos maiores fotógrafos da cena rock’n’roll, que documentam a vida de John Lennon no período em que ele morou na cidade de Nova York. A exposição marca os 80 anos de nascimento e 40 anos de legado de John Lennon, além de integrar a programação comemorativa dos 50 anos do MIS.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do MIS (Divulgação) e John Lennon por Bob Gruen (Reprodução)


Museu da Arte Sacra de São Paulo

Quando reabriu: 16 de outubro
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
Exposição: Arte Sacra Através dos Séculos e Nós, da Etiópia – Recortes de uma Viagem
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://museuartesacra.org.br/

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma das mais importantes instituições do gênero no país e reabre ao público com uma nova exposição de longa duração, preparada durante os meses no qual o museu permaneceu fechado devido à pandemia do Covid-19.

Intitulada de “Arte Sacra Através dos Séculos”, conta com a inserção de peças da “Via Crucis de Victor Brecheret, um conjunto feito em terracota, entre os anos de 1942 e 1946, compõe as 14 estações que descrevem os últimos momentos da vida de Jesus.

No mesmo espaço o visitante pode contemplar outras obras com temática sacra feitas por artistas modernistas brasileiros como Anita Malfatti e Aldo Bonadei.

E também, há a mostra “Nós da Etiópia – Recortes de uma viagem“, composta por 30 imagens do fotógrafo Daniel Taveira, que realizou uma viagem ao país, traz representações fidedignas da diversidade humana, abundante em cores e formas da região.

Fonte: Site Oficial / Foto: Fachada do MAS (Reprodução Instagram) e Arte capa de “Nós, da Etiópia” com obra de Brecheret (Divulgação) / Vídeo: “Exposição da Via Crucis de Victor Brecheret” (Reprodução Youtube)


Paço das Artes

Quando reabriu: 16 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 18h
Exposição: Limiares, de Regina Silveira
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.pacodasartes.org.br/

Limiares‘, que está na nova sede do Paço das Artes (antes localizada dentro da Cidade Universitária, USP), é uma mostra inédita, de Regina Silveira, uma das criadoras com maior presença na arte contemporânea brasileira.

A exposição estabelece um diálogo permanente com o espaço, um casarão tombado de 1937, localizado na região de Higienópolis.

Fonte: Reportagem Metrópolis – TV Cultura / Fotos: Fachada da nova sede da Praça das Artes por @lucypipulini (Reprodução Instagram) e obra “Cascata” (Divulgação) / Vídeo: “‘Limiares’, de Regina Silveira, estabelece diálogo permanente com o Paço das Artes | Exposição” (Reprodução Youtube)


Museu Afro Brasil

Quando reabriu: 20 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
Exposições: Heranças de um Brasil Profundo e 150 anos do poema Navio Negreiro, do poeta Castro Alves
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.museuafrobrasil.org.br/

O Museu Afro Brasil  é uma instituição pública, localizada no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, dentro do Parque Ibirapuera.

O acervo abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, tudo produzido entre o século XVIII e os dias de hoje, e que aborda temas como a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, entre outros temas ao registrar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

Na retomada, manteve duas mostras em cartaz, inauguradas antes da pandemia. Uma, é a instalação criada por Emanoel Araujo, a obra homenageia os 150 anos do seminal poema “O Navio Negreiro”, do poeta romântico e abolicionista baiano Castro Alves (1847-1871).

A outra, “Heranças de um Brasil profundo“, reúne mais de 500 objetos entre obras de arte e utensílios da cultura material indígena de raiz brasileira. 

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada e interna do museu; e índio Kayapó da Vila de Kriny (PA) por Guta Galli (Divulgação/Reprodução)


Museu Catavento

Quando reabriu: 21 de outubro
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
Exposição: Seções fixas – Universo, Vida, Engenho e Sociedade
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://museucatavento.org.br/home

O Museu Catavento, focado em ciência e tecnologia, possui a missão de aproximar crianças, jovens e adultos do mundo científico, despertar a curiosidade e transmitir conhecimentos básicos e valores sociais, por meio de exposições interativas e atraentes, com linguagem simples e acessível.

Está localizado em um dos edifícios históricos mais importantes da cidade de São Paulo, o Palácio das Indústrias, que fora inaugurado em 1924, originalmente como local de exposições, teve ao longo de sua história diversos outros usos.

Possui 250 instalações, em 12 mil metros quadrados de área expositiva, divididas em quatro grandes seções: Universo, Vida, Engenho e Sociedade

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do museu por Pedro Jackson e internas das seções fixas (Divulgação/Reprodução)


Museu da Imigração

Quando reabriu: 22 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
Exposições: Migrar: experiências, memórias e identidades e Respiro
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.museudaimigracao.org.br/

O Museu da Imigração do Estado de São Paulo preserva a história das pessoas que chegaram ao Brasil por meio da Hospedaria de Imigrantes do Brás (1887-1978), e o relacionamento construído, ao longo dos anos, com as diversas comunidades representativas da cidade e do estado.

A exposição de longa duração, “Migrar: experiências, memórias e identidades”, tem como objetivo apresentar aos visitantes os trabalhos de preservação e pesquisa realizados pelo Museu da Imigração a respeito de seu tema central.

Destaque para a instalação videográfica e interativa, intitulada de “SobreNomes“, que foi inaugurada antes da pandemia e permanecida na reabertura. Ela projeta mais de 1.600 registros, sobrenomes de diferentes origens, de famílias que vieram no passado e das que chegaram recentemente ao nosso país.

E o marco da reabertura ficou por conta da instalação “Respiro”, desenvolvida durante a quarentena, levanta questões que relacionam o isolamento social com os sentimentos de um migrante, que se encontra afastado de seus lugares, afetos e rotinas. Por meio de frases e questionamentos, a iniciativa visa fomentar uma reflexão sobre a situação mundial atual, a proximidade e a semelhança com o outro e valorizar a importância do contato com a natureza.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada e outras dependências do MI (Divulgação/Reprodução)

2/3. Museus e instituições culturais da capital geridos por outras iniciativas (privadas, associações, etc.):


Centro Cultural Fiesp (Paulista Cultural)

Quando reabriu: 15 de outubro
Horário de funcionamento: das 13 às 17h
Exposições: Destinos, o Homem Inventa o Homem, Conexões Urbanas e Retratos de Mulheres Por Mulheres
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://centroculturalfiesp.com.br/

Das múltiplas possibilidades de fruição artística no Centro Cultural Fiesp, apenas três espaços vão abrir para interação presencial do público neste primeiro momento: a Galeria de Arte, o Espaço de Exposições e a Galeria de Fotos.

Esses espaços expositivos vão operar com 30% de sua capacidade, ampliando o distanciamento entre os visitantes.

Destaque na retomada das atividades, é a estreia da exposição “Destinos, o Homem Inventa o Homem“, do artista plástico José Roberto Aguilar. A mostra apresenta 69 trabalhos de Aguilar, na sua maioria inéditos, e oferece um panorama da pulsação única do pintor que está na ativa há 60 anos.

Quem ainda não teve a oportunidade de conhecer, poderá agora conferir as exposições que já estavam em cartaz em março (pré-quarentena). Uma é “Retratos de Mulheres por Mulheres“, uma mostra de fotografias de Claudia Andujar, Maureen Bisilliat e Chros Bierrenbach, entre outras brasileiras. E a outra é “Conexões Urbanas“, que apresenta todo um universo pop que envolve a cultura urbana do século 20.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Divulgação/Reprodução


IMS PaulistaInstituto Moreira Salles de São Paulo (Paulista Cultural)

Quando reabriu: 13 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
Exposições: Paz Errázuriz: coleções Fundación MAPFRE; Arquivo Peter Scheier e Agora ou nunca – Devolução: paisagens audiovisuais de Maureen Bisilliat
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://ims.com.br/

O principal destaque da programação é a mostra “Paz Errázuriz: coleções Fundación MAPFRE“, que inaugura com a reabertura.

A exposição apresenta um panorama da obra da fotógrafa chilena, com cerca de 150 fotografias produzidas da década de 1970 até os anos 2010.

Dividida em dez eixos temáticos, a mostra evidencia as relações de empatia e confiança estabelecidas por Paz, que começou a atuar na década de 1970, em plena ditadura militar.

O centro cultural também volta a exibir as exposições dos fotógrafos Peter Scheier e Maureen Bisilliat, em cartaz quando a sede fechou por conta da pandemia.

Além disso, será possível visitar a escultura Echo, de Richard Serra, e pesquisar na Biblioteca de Fotografia (agendamento necessário). O Restaurante Balaio e o café também estarão abertos, assim como a Loja da Travessa.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Interna do IMS Paulista por Pedro Vannucchi (Divulgação) e das exposições, acervo MIS (Reprodução)


Itaú Cultural (Paulista Cultural)

Quando reabriu: 13 de outubro
Horário de funcionamento: das 13h às 19h
Exposições: Sandra Cinto: das Ideias na Cabeça aos Olhos no CéuOcupação Rino Levi, temporárias; e Espaço Olavo Setubal, mostra permanente das obras da coleção Brasiliana e de Numismática
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.itaucultural.org.br/

Itaú Cultural dá continuidade às exposições inauguradas poucos dias antes da suspensão das atividades.

Voltam ao cartaz duas mostras. Uma é a “Sandra Cinto: das Ideias na Cabeça aos Olhos no Céu“, aberta cinco dias antes da suspensão, que apresenta a essência da produção da artista e de sua evolução criativa, em 30 anos de dedicação à arte.

A outra é a “Ocupação Rino Levi“, sobre o arquiteto e urbanista que atuou diretamente na metropolização paulistana.

Também volta à grade de programação a exposição permanente de obras Brasilianas e de Numismática, da coleção da instituição, no Espaço Olavo Setubal, situado no 4º e 5º andares.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do Itaú Cultural (Reprodução Pinterest) e das exposições, por agência Ophelia e acervo Itaú Cultural e FAU-USP (Divulgação)


Japan House São Paulo (Paulista Cultural)

Quando reabriu: 20 de outubro
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
Exposições: O fabuloso universo de Tomo Koizumi e Japonésia
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.japanhousesp.com.br/

A Japan House São Paulo reabre com duas novas exposições gratuitas e inéditas na América Latina: “O fabuloso universo de Tomo Koizumi” e “Japonésia“.

A primeira, instalada no piso térreo, apresentará 13 surpreendentes looks do designer Tomo Koizumi. Destaque na semana de moda de Nova Iorque de 2019, Koizumi trabalha em produções únicas feitas em organza japonesa com cores e volumes extravagantes, que resultam em criações perfeitas para seus desfiles performáticos e marcantes.

Já a segunda, trará o trabalho do jovem fotógrafo Naoki Ishikawa, considerado um dos artistas mais relevantes no cenário atual da fotografia no Japão. Instalada no segundo andar, a mostra revelará as particularidades do arquipélago nipônico, ressaltando sua diversidade de paisagens e de cultura, levando os visitantes a uma verdadeira expedição por um Japão desconhecido.

Os serviços oferecidos dentro da instituição como o Restaurante Aizomê, o Sabor Mirai Café e as lojas Shin e Furoshiki também estarão abertos acompanhando o horário de funcionamento e seguindo os protocolos do centro cultural, bem como outros exclusivos de suas áreas de atuação.

Pensando na segurança dos visitantes, alguns ambientes como o Jardim Interno e o terraço também estarão com capacidade reduzida. Já os livros do Espaço Multimidia/Biblioteca, não estarão disponíveis para consulta neste momento inicial. Por enquanto, atividades como palestras, workshops e visitas guiadas estão suspensas.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do JHSP por Estevam Romera (Divulgação) e das exposições, por Naoki Ishikawa© e acervo JHSP (Divulgação/Reprodução)


Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – Masp (Paulista Cultural)

Quando reabriu: 13 de outubro
Horário de funcionamento: das 13h às 19h; e das 10h às 16h.
Exposições: Hélio Oiticica: a dança na minha experiênciaTrisha Brown: Coreografar a vidaSenga Nengudi: Topologias e Sala de vídeo: Babette Mangolte, como temporárias. E Acervo em Transformação, mostra de longa duração do museu.
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.masp.org.br/

Neste ano, o eixo temático que pauta todas as atividades do museu são as Histórias da dança.

No que diz respeito a programação, o público poderá conferir, já na reabertura, as exposições:

Hélio Oiticica: a dança na minha experiência“, um panorama da trajetória do artista com trabalhos relacionados ao ritmo, à música e à dança. “Trisha Brown: coreografar a vida“, primeira mostra brasileira dedicada integralmente à obra da artista. E por fim, “Senga Nengudi: topologias“, primeira monográfica da artista afro-americana na América Latina com cerca de 50 trabalhos, entre instalação, escultura, fotografia e desenhos.

Na Sala de Vídeo, o público ainda pode conferir uma seleção de filmes da cineasta e fotógrafa Babette Mangolte, que focam o seu interesse pela dança e pelo movimento do corpo.

E ocupando todo o 2º piso, está a mostra de longa duração com coleção Masp, intitulada de “Acervo em Transformação“. Os trabalhos são expostos nos famosos cavaletes de cristal — placas de vidro encaixadas em um bloco de concreto — desenhados por Lina Bo Bardi (1914‐1992), autora também do projeto do edifício.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada e interna do MASP por Eduardo Ortega (Divulgação) e das exposições, por acervo MASP (Divulgação/Reprodução)


Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM

Quando reabriu: 13 de outubro
Horário de funcionamento: das 12h às 18h
Exposições: Antonio Dias: derrotas e vitórias, Clube de colecionadores de fotografia do MAM – 20 anos e Projeto Parede Roçabarroca.
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://mam.org.br/visita-segura/

De novembro adiante, aos domingos, o público poderá realizar visitas com entrada gratuita, mediante agendamento prévio no site do MAM. Desde a sua reabertura, é possível conferir três mostras inéditas: 

A primeira, Antonio Dias: derrotas e vitórias“, apresenta uma retrospectiva da obra do artista a partir do seu acervo. Um conjunto de trabalhos desde as primeiras abstratas do início dos anos 1960, até a sua última tela pintada. São instalações, pinturas, filmes e obras em diversos suportes na mostra inédita no MAM.

A segunda, a mostra “Clube de colecionadores de fotografia do MAM – 20 anos“, que constitui parte do acervo do museu em 107 obras. Nela, é possível conhecer as coleções particulares de centenas de pessoas que fazem ou fizeram parte do Clube nessas duas décadas.

E a terceira, dentro do Projeto Parede, está a instalação “Roçabarroca” de Thiago Honório, que usou o corredor que liga as salas expositivas do MAM, para revestir com paredes de pau a pique. Ao construir essa instalação com elementos vivos do parque Ibirapuera, o artista aproxima museu e natureza por meio de um saber que nos une a um Brasil profundo.

O público também pode usufruir da Biblioteca (mediante reserva prévia) e passear pelo acervo do Jardim de Esculturas no Parque Ibirapuera, que fica bem em frente ao museu, a céu aberto.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do MAM (Reprodução Site) e das internas com as exposições por Karina Bacci e Edouard Fraipont (Divulgação)


Farol Santander São Paulo

Quando reabriu: 20 de outubro
Horário de funcionamento: das 13h às 19h
Exposições: Revoada e Devaneios – Os Mundos de JeeYoung Lee
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.farolsantander.com.br/#/sp

O Farol Santander retoma suas atividades com novidades na programação cultural e estrutura do prédio.

Os visitantes locais e turistas poderão conferir a exposição “Revoada“, que ocupa o Hall e o 24º andar do edifício. São obras inéditas de Flávia Junqueira, uma das principais artistas do cenário da arte contemporânea no Brasil.

A instalação no espaço de entrada do Farol, intitulada com o homônimo da exposição, consiste em uma cenografia lúdica e imersiva, com aproximadamente 70 balões de vidro, coloridos e suspensos a partir do teto.

Já no 24° andar está a obra “Território Espelhado”, ocupando todo o espaço, incluindo paredes e teto, que ficaram cobertos por folhas espelhadas e papel metalizado, os quais refletem os balões de festa também distribuídos no local. A instalação ainda conta com ambiência sonora que remete a um autêntico parque de diversões, além de cavalos de carrossel.

A mostra “Devaneios–Os Mundos de JeeYoung Lee” da artista sul-coreana e que havia entrado em cartaz em fevereiro, continua no 22º andar. Inédita no Brasil e com direção artística de Facundo Guerra, apresenta as instalações The Panic Room (O Quarto do Pânico) e My Chemical Romance (Meu Romance Químico), as quais convidam o público a entrar no universo de devaneios de Lee, transformando os visitantes em coautores, testemunhas e participantes de suas ideias.

E por fim, os visitantes também encontrarão o Farol Santander SP com a fachada (tombada pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico) restaurada, tal como era em 1947. Foram restauradas 46.975.650 pastilhas e 850 esquadrias, além da limpeza do icônico lustre de 13 metros de altura e 1,5 tonelada do hall de entrada, que teve suas 9.987 peças de cristal, limpas uma a uma.

Fonte: Site Oficial / Fotos: Fachada do FS (Reprodução FB) e das internas com as exposições por Edson Kumasaka e Bruno Leão (Divulgação)


Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – CCBB-SP

Quando reabriu: 16 de outubro
Horário de funcionamento: das 9h às 17h
Exposição: Egito Antigo – Do cotidiano à modernidade
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.eventim.com.br/artist/egito-antigo/

Na reabertura ocorrida no dia 16 de outubro, o CCBB-SP manteve a mostra “Egito Antigo: do cotidiano à eternidade“, que entrou em cartaz em fevereiro, e é a única atração aberta ao público para a retomada.

Ao todo, a mostra reúne 140 peças que têm em comum a relevância para o entendimento da cultura egípcia, que manteve parcialmente os modelos religiosos, políticos, artísticos e literários por três milênios.

Aspectos da historiografia geral do Egito Antigo são apresentados de forma didática, por meio de esculturas, pinturas, amuletos, objetos cotidianos, um Livro dos Mortos em papiro, objetos litúrgicos e óstracons (fragmento de cerâmica ou pedra usados para escrever mensagens oficiais), além de sarcófagos, múmias de animais e uma múmia humana da 25ª dinastia. 

Os itens são oriundos do Museo Egizio de Turim, na Itália, segundo maior em acervo egípcio do mundo.

A visitação é agendada, podendo ser feita pelo site ou aplicativo “Eventim” (Apple Store e Google Play). Anote as datas da disponibilidade dos ingressos no site: https://www.eventim.com.br/artist/egito-antigo/, pois assim você consegue garantir e agendar a tua visita com certeza e antecedência, e lembrando que é gratuito para todos os dias (exceto às terças-feiras):

18/11 à 30/11 – Disponíveis a partir de 01/11/2020
02/12 à 14/12 – Disponíveis a partir de 15/11/2020
16/12 à 03/01/2021 – Disponíveis a partir de 01/12/2020

Fonte: Site Agência Brasil / Fotos: Fachada do CCBB-SP por @EriltonSantos (Reprodução FB) e das peças da mostra, do acervo (Divulgação)

3/3. Museus do estado geridos pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo:


Museu do Café (Santos/SP)

Aberto desde: 20 de agosto
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
Atividade: Visita guiada
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): http://www.museudocafe.org.br/

O Museu do Café é um dos principais pontos turísticos da cidade de Santos e tem como objetivo a preservação e divulgação da história do café no Brasil e no mundo.

Está instalado no palácio da antiga Bolsa Oficial de Café, inaugurado em 1922, e tem como destaque do acervo, o salão do pregão.

As visitas guiadas pelo patrimônio histórico seguem todos os protocolos de segurança.


Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão/SP)

Aberto desde: 5 de setembro
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
Exposição: Acervo de Felícia Leirner
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.museufelicialeirner.org.br/

O Museu Felícia Leirner, localizado em uma área de mata com 35 mil m² em Campos do Jordão, reúne um conjunto de 85 obras de bronze, cimento branco e granito da artista Felícia Leirner, distribuídas ao ar livre, no jardim do espaço que divide com o Auditório Claudio Santoro, sede do Festival Internacional de Inverno.

Na retomada, só retornou com as visitações presenciais e uma programação on-line vasta e bem ativa.


Museu Casa de Portinari (Brodowski/SP)

Aberto desde: 5 de setembro
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
Atividade: Visita guiada pela história e trajetória do renomado artista brasileiro Candido Portinari
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.museucasadeportinari.org.br/

Antiga residência de Candido Portinari, em Brodowski, o Museu Casa de Portinari representa a forte ligação do artista com sua terra natal, origens e laços familiares. É o local onde ele realizou suas experiências com pinturas murais e se aprofundou na técnica ao passar dos anos.

Também retomou as visitações e possui uma vasta programação on-line.


Museu Índia Vanuíre (Tupã/SP)

Aberto desde: 3 de setembro
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
Atividade: Visita guiada pela história e memória dos povos indígenas do oeste paulista (Kaingang e Krenak) e do município Tupã
Site (p/+infos e compras/retirada dos ingressos): https://www.museuindiavanuire.org.br/

Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre está instalado num imóvel construído em 1980 pelo fundador de Tupã, Luís de Sousa Leão. Seu acervo é composto de 38 mil itens entre objetos e documentos relativos ao município e à coleção etnográfica focada nas nações indígenas brasileiras, principalmente os kaingangueskrenak, os quais habitam a região oeste do estado.

Foram retomadas as visitas para o centro de referência e exposições, os quais resgatam essa cultura e história indígena, que também preservam a memória da patrona da instituição, a índia Vanuíre.

Guarde este Pin no teu Pinterest!


PLANEJE A SUA VIAGEM✈️ E/OU SEU ROTEIRO🗺 COM O

CLIQUE👆 nos links abaixo de nossos parceiros e CONTRIBUA💰 para a monetização do nosso portal, proveniente de comissões calculadas em cima das compras que forem efetivadas por vocês, leitores. Então, atenção! Faça a sua pesquisa e finalize a compra logo após de ter clicado em um dos links. Pois, é com essa colaboração que continuaremos a trazer conteúdos com dicas exclusivas! 🤗🙏✅

🛌 Faça a sua reserva em hoteis, pousadas, hostels, casas de temporada, etc., e cancele tranquilamente pois não há cobranças de taxas extras → Booking.com

🚍 Garanta o transfer entre o aeroporto (Guarulhos / Congonhas) e o seu local de hospedagem com conforto, segurança e agilidade → TourOn

🏩 Cadastre-se com nosso link → Airbnb e ganhe até R$179 de desconto em sua primeira estadia ou experiência

🚘 Alugue um carro com desconto de até 30% ou parcele em 12 vezes sem juros e sem cobrança de IOF → RentCars

📍 Compre com antecedência passeios, excursões e tours conduzidos por guia de turismo → GetYourGuide

📲 Use seu celular nos EUA e em +de 210 países, com 10% de desconto no chip internacional, digitando e validando o código “SPDAGAROA10” no campo cupom → EasySim4U

Clique nas imagens e siga-nos no Instagram @spdagaroa!

Deixe seu e-mail para receber notificações de novas matérias publicadas aqui neste portal www.spdagaroa.com.br:

Entre no nosso grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/spdagaroa/ e seja um membro para saber em primeira mão das nossas matérias recentes e outros conteúdos exclusivos!
The following two tabs change content below.
Redação SP da garoa
São Paulo da garoa, São Paulo, que terra boa! Tudo sobre cotidiano, cultura, história, turismo e gastronomia da nossa terra da garoa.

Comentários

Comentários

Tagged